21.4 C
Amambai
sábado, 22 de junho de 2024

Audiência Pública em Amambai debate a falta de água nas aldeias indígenas

- Publicidade -

Na última sexta-feira, dia 26, a Câmara Municipal de Amambai foi palco de uma importante audiência pública que abordou a preocupante situação da falta de água nas aldeias indígenas do município. A audiência pública foi uma proposição do vereador Tato Souza

Estiveram presentes o Prefeito de Amambai, Dr. Edinaldo Luiz de Melo Bandeira, o vice-prefeito, Rodrigo Selhorst, a presidente da Câmara, vereadora Lígia Borges, o Coordenador do Dsei-MS (Distrito Sanitário Especial Indígena de Mato Grosso do Sul), Arildo Alves Alcântara, o chefe da Funai de Amambai, Jovelson Vasques Gonçalves, o chefe da Divisão Técnica da regional da Funai, Haller Nelson de Oliveira, representantes de movimentos indígenas do estado, vereadores, o secretário municipal de assuntos indígenas, Zenaldo Moreira, e o público em geral.

Durante a audiência, o Prefeito de Amambai, Dr. Bandeira, reforçou o compromisso de sua gestão em buscar soluções para a falta de água nas comunidades indígenas. Ele destacou que cerca de 30% da população de Amambai é composta por indígenas e que o poder público não pode fechar os olhos para essa realidade.

O Prefeito também elogiou o atual Coordenador do Dsei-MS, destacando que foi a primeira vez que um coordenador buscou estabelecer uma parceria com a prefeitura para resolver a questão da falta de água. “O problema não se resume apenas a perfurar poços, mas também garantir a distribuição adequada, a manutenção e a valorização dos agentes sanitários responsáveis pelo abastecimento de água dentro das aldeias. Conte com nosso apoio, nossa articulação política e nossa determinação para resolver de vez esse problema.”

Durante a audiência, membros da comunidade indígena tiveram a oportunidade de relatar os problemas enfrentados nas aldeias devido à escassez de água. Professores mencionaram a necessidade de interromper as aulas mais cedo por falta de água, e alguns agricultores perderam suas plantações por não conseguirem irrigá-las adequadamente.

Além disso, os participantes destacaram as dificuldades enfrentadas no acesso à água, a necessidade de racionamento e as dificuldades cotidianas sem a disponibilidade desse recurso essencial.

O coordenador do Dsei-MS, Arildo Alves Alcântara, em sua fala enfática, pediu desculpas pelas atuações anteriores do órgão e assumiu o compromisso de resolver o problema da falta de água nas aldeias até o final do ano. Ele afirmou que, caso não haja soluções efetivas, estará disposto a renunciar ao cargo.

Fonte e Fotos: Raquel Fernandes/Secom

Leia também

- Publicidade -
- Publicidade -